Oposição timorense acusa Presidente do Parlamento de “graves violações” da lei por não agendar reuniões plenárias

0
187

Os partidos da oposição de Timor-Leste acusaram esta segunda-feira o Presidente do Parlamento, Aniceto Guterres Lopes, de “graves violações” do regimento da instituição por continuar sem marcar reuniões plenárias, bloqueando assim o funcionamento do órgão de soberania, escreve o portal de notícias Timor Agora.

Dionísio Babo, deputado do maior partido da oposição, o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), referiu que é inaceitável que o Presidente não agende reuniões plenárias, depois de ter prometido retomar as mesmas a 8 de janeiro. Para o deputado do CNRT, o Presidente do Parlamento poderá estar a «esticar» o calendário até 22 de janeiro, dia em que, segundo a Constituição, o Presidente da República poderá dissolver o parlamento e convocar eleições antecipadas, acrescenta o mesmo órgão de comunicação.

A oposição, que está em maioria no parlamento, chumbou o programa do Governo e vive-se atualmente uma grande tensão política no país.

In e-Global

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here