REVISTA DE IMPRENSA 20 DE ABRIL 2018

0
306

Cá estamos, uma vez mais, para contar o que vem nos jornais publicados na Guiné-Bissau. O único que nos chegou é “O Democrata”, semanário que destacou, na primeira página, a grande reportagem sobre a Central Elétrica de Buba, destacando, em titulo, citamos: “Central Elétrica de Buba – Uma realidade para impulsionar a economia de Quinara e Tombali”. Ora, contestado pelos ambientalistas, segundo o periódico, são, no total, 5 grupos de geradores, já instalados, com os respectivos assessórios e cada grupo tem uma capacidade total, de produção, de 7,5 megas, o que, segundo os técnicos, é superior as demandas dos potenciais consumidores nesta primeira fase”, fim de citação. De Buba, voltando a Bissau, a capital guineense, o “Presidente JOMAV agenda eleições legislativas para 18 de Novembro”, destaca “O Democrata”, adiantando que “a escolha da data de eleições resulta de um consenso entre as partes envolvidas na crise politica e parlamentar, que assola o país há mais de dois anos, isto é, durante uma negociação na Cimeira da Comunidade Económica dos Estado da Africa Ocidental”. Foi o mesmo consenso que ditou, também, a nomeação de Aristides Gomes ao cargo do Primeiro-ministro. Aliás, em titulo, e na primeira página, o jornal escreve, citando, de novo, “Aristides Gomes apela ao fim de transições na Guiné-Bissau”. No seu discurso de tomada de posse, “o novo Primeiro-ministro da Guiné-Bissau apelou aos actores políticos guineenses à porem um fim nos governos e períodos de transição com bases na Constituição da República”. E uma outra nota que não escapou a abordagem de “O Democrata” é a reabertura das sessões plenárias da Assembleia Nacional Popular. Caro ouvinte, para finalizar este nosso olhar pelos jornais guineenses, ainda no “Democrata”, eis o titulo do seu Editorial: Que solução para a Guiné-Bissau, interroga o semanário, ao mesmo tempo que encontrou uma resposta: “a única solução para acabar com os casos atípicos na Guiné-Bissau é responsabilizarmos um grupo de pessoas honestas – que na verdade são raras de encontrar – pela gestão dos destinos do pais”, fim de mais uma reprodução mimética por citação e fim de mais um exercício habitual de leitura das publicações guineenses.

Por: Lassana CASSAMÁ

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here